domingo, 13 de dezembro de 2009

BOCA, PORTA DO PRAZER



Ó boca umedecida
Com saliva de desejo
Que ducifica nossos beijos
Quando a gente faz amor

Ó boca faminta
Que me excita sem demora
A tua lingua me devora
Quando a gente faz amor

Ó boca impulsiva
Que eleva meu ego
Que atiça meu sexo
Quando a gente faz amor

Ó boca carnuda
Que suga meu prazer
Que me faz gemer
Quando a gente faz amor

Ó boca sedenta
Que procura a fonte do meu corpo
Que sacia a sede no meu gozo
Quando a gente faz amor
.
Autor - José Augusto Cavalcante

2 comentários:

Ivana Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ivana Maria disse...

Linda!♠ Achei um pouco parecida com aquela minha poesia LEMBRANÇAS, concorda?