sexta-feira, 11 de setembro de 2009

INTIMIDADE


Vem, me toma nos braços,
Me ama, acende minha chama
Explora meu tesão
Me joga no chão
Encara meu olhar
Me aperta, sufoca minha boca
Encosta em minhas coxas
E com ar quente de tua boca
Me faz arrepiar
E nessa intimidade
Abre minha carne
Empurra, puxa, me surra
Até soltar gemidos
Acelera teu rítimo
Pra frente, pra traz
Me faz pedir mais
Até delirar
Do jeito que eu sempre quis
Pra depois cansada dormir em seus braços
E acordar infinitamente feliz

Um comentário:

andreia disse...

Parabéns pela sua sensibilidade!!!!
Essa é a real intimidade...a flor da pele. Beijos.